quinta-feira, 6 de novembro de 2014

O dia que eu disse foda-se



Existem alguns momentos em nossas vidas que são decisivos. Momentos em que precisamos decidir entre continuar vivendo uma triste e pequena vida ou tomar o controle de tudo. Talvez esta seja a primeira vez em que realmente me sinto adulta. Todos aqueles outros momentos, eu estava apenas sendo uma pessoa dependente, tanto financeiramente quanto emocionalmente. Eu me encontrei nesse tipo de situação em que já podia pagar minhas contas com meu trabalho e ainda assim era tratada como adolescente pela minha família. Eu tinha o pior dos dois lados. É difícil crescer e amadurecer nos tempos atuais, e eu sinto que isso mais hoje que antigamente. Nossos pais foram forçados a crescer, trabalhar, formar uma família, construir uma casa e futuro para seus filhos, e isso tudo muito cedo. Hoje sinto que o mundo está tentando nos manter dependentes. E eu não quero isso. Não, não, não! É como um pesadelo.

Existiu um momento da minha vida que eu estava tão triste e deprimida, sendo pressionada por forças que hoje penso serem as forças da minha própria cabeça. Eu era a única que estava deixando aquela situação acontecer. Eu achava que estava apenas sendo uma boa filha, uma boa neta, etc. Mas eu estava sendo covarde. Evitei o conflito durante tempo demais, achando que isso poderia prejudicar a minha relação com as pessoas, mas o que eu não sabia era que o conflito era necessário, quase como uma auto-afirmação e uma confirmação para as pessoas ao meu redor de que: Hey, a Mary cresceu! Eu não sou mais a porra de uma adolescente, apesar de desejar muitas vezes voltar. Eu estou velha. Eu tenho 24 fucking anos e eu espero que as pessoas olhem pra mim com seu devido respeito. E acho que foi bem aí no meio desse turbilhão de coisas que eu disse meu primeiro foda-se, e então, a princípio, todo mundo ficou meio assustado, mas aí começaram a entender...

Eu nunca acreditei na terapia de choque, mas a verdade é que ele funciona, por bem ou por mal. É como tirar um band-aid. Você sofre mais com a expectativa, mas se for rápido, a dor dura apenas um segundo, e então você pode respirar aliviado.

O negócio é que vivi tanto tempo achando que devia satisfação sobre tudo que eu fazia. E hoje me sinto mais livre e sem aquele peso aterrorizante nas minhas costas. Não posso me enganar: ainda sou uma pessoa dependente em alguns aspectos. Acho que todo mundo tem um nível de dependência com as pessoas mais próximas de si, mas acho que é natural, porque não somos 100% autossuficientes. Nós ainda precisamos de pessoas ao nosso lado. Eu acho que tudo isso aconteceu como um rito de passagem, onde finalmente posso dizer que me sinto adulta, e as coisas mudaram, continuam mudando.

"Foda-se" é quase uma metáfora para "andar com as próprias pernas". Não permitir que as pessoas tomem decisões por você, contra a sua vontade. Empoderamento do seu próprio corpo, da sua própria vida, da sua própria mente. Largar os medos ridículos e encontrar seu próprio jeito de viver a vida. É apenas impressionante como tanta coisa mudou desde aquele momento. Hoje me sinto mais confortável para andar na rua vestindo o que eu gosto de vestir, sem seguir regras. Mudou também o jeito como as pessoas olham pra mim. Eu não tenho mais o rosto de uma garota de 15 anos (apesar de algumas pessoas me darem uns 19...) e eu tenho opiniões e sou respeitada por elas. É uma sensação nova e boa.

Isso me lembra de como sempre fui uma pessoa emancipada desde a infância, sempre buscando o caminho da independência. Crescer pode ser uma coisa bem traumática, principalmente quando você percebe que já não é assim TÃO jovem, e agora você conversa com amigos seus sobre coisas que acontecerem há dez anos atrás, com folga, como se fosse ontem. É assustador, mas ao mesmo tempo dá uma doce sensação de maturidade.
Comentários
6 Comentários

6 comentários:

  1. Isso era o que eu precisava ler hoje.
    Sinceramente, estou deixando de fazer e ser o que quero por causa das pessoas, com medo de que não aceitem minha opinião. Isso faz com que a gente sofra, fique mal. O stress que me diga, nunca fui tão preocupada desse jeito.
    Muito obrigada, e muito obrigada mesmo ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, fico feliz que meu texto tenha te ajudado.. sempre bom poder inspirar as pessoas ;)

      Excluir
  2. Quem sou eu pra falar de maturidade, mas passo pelas mesmas coisas. Desde muito pequena eu sempre buscava jeitos de conseguir uma renda extra e que desse pra pelo menos eu pagar os meus próprios desejos, sem pedir nada a meus pais. Mas quebrei muito a cara e tive que engolir meu orgulho, adorei esse seu texto e me identifiquei bastante. Estou naquela fase de transição e de dizer um "foda-se" seguir em frente com meus planos.
    beijos!!!


    leehlivrosillustration.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. muito boa sorte com seus planos!! e força pra todas nós ;)

      Excluir
  3. Amei seu texto ❤️❤️❤️ acho que é isso que todos passam antes de chutar o balde.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...