sexta-feira, 21 de junho de 2013

Sobre a sensação de estar órfão de um livro

Um desenho que fiz da Daenerys logo que a terceira temporada de GoT acabou.


Hoje foi um daqueles dias que fiquei pendurada num livro que estava no fim, para conseguir terminar durante o caminho até o trabalho. E consegui terminar. Mas logo fui invadida por aquela sensação de vazio, de estar órfã de uma história. Quando chega a última página, dá aquela agonia, e você anseia para que as palavras tripliquem e não se acabem...

Não bastasse a agonia do fim próximo, vem chegando aquela frustração de que o final (ou o desenrolar da história até então) não atendeu as suas expectativas e de que (talvez) tudo poderia ter sido diferente. Isso acontece muito frequentemente comigo. São raros os livros que me satisfazem por completo, principalmente por causa do final. Sempre tenho a sensação de que boa parte da história são complicações atrás de complicações e tudo se resolve muito rápido. A gente nunca tem a oportunidade de saber o que acontece depois (depois que o casal finalmente fica junto, depois que o inimigo finalmente morre, depois que os problemas são resolvidos... afinal, não é quando a "vida" deveria começar?!)

Mas eu divago.

É por causa desses detalhes que eu escrevo. Eu escrevo as histórias que eu gostaria de ler, e que estejam mais próximas do que eu chamo de satisfação. É muito difícil fugir dos clichês, é verdade, mas se eles são clichês é porque de alguma forma funcionam. Uma boa parte dos clichês funcionam quando são usados de maneira comedida, quando elas dão sentido para uma história (e não se calcando neles). São os detalhes que no fundo fazem toda a diferença...

Para mim, os finais são motivos para noites sem dormir, sinceramente. Eu me lembro de passar horas e horas pensando, montando, discutindo e remontando o desenrolar do Vidas Imperfeitas de modo que se encaixasse e fizesse sentido. Mas a minha vontade de tornar tudo real e mais próximo do que nós sentimos era maior que qualquer coisa. Eu queria que a história fosse paupável, identificável. E quando penso no final que dei para a história, eu me sinto satisfeita. Pode não ter sido o melhor final, o final que os leitores esperavam, mas eu pude respirar em paz sabendo que fiz um bom trabalho e que tinha fechado um ciclo. Essa sensação foi maior do que todas as outras. Acho que no fundo é essa a sensação que busco quando leio outras histórias. Mas a sensação do autor é diferente da do leitor... eu não sei o que sentiria se fosse apenas leitora das minhas próprias histórias. Talvez eu as odiasse.

Mas a sensação de estar órfão de um livro é muito arrebatadora. Te deixa desnorteado por horas, dias, imaginando porque tudo teve que ser assim ou porque tinha que ter um final... Essa sensação pode durar até o início do próximo livro ou história, quando você é novamente transportado para um outro universo, começa a se afeiçoar e... BUM! Acabou de novo. Mas a nossa vida é assim. Precisamos de finais para poder recomeçar... Não que isso torne a passagem menos dolorosa.



Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. XD A Daenerys ficou linda! É uma pena que só tenha 10 episódios por ano :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma pena mesmo... agora estou tentando ler os livros xD

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...