quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

How Diego's head works

E aí, como foram de final de ano? Eu passei a virada em Copacabana, e poxa... acho que eu não sirvo pra essas bagunças!! Foi bacana tirando a chuva, o frio, e as 3h dentro do ônibus pra voltar pra casa da minha amiga (a Mari, que me emprestou sua casa pra eu passar uns dias). O Rio tava lotaaado de turista então não pude conhecer os pontos turísticos, mas foi divertido mesmo assim. Gosto de viajar. Ainda mais porque vai dando aquela saudade de casa, e quando volto, valorizo mais minha rotina xD

Quer dizer, eu deveria estar desenhando muito mais, mas devagar ainda é algum passo. Minha saúde tá se recuperando finalmente. Já me sinto mais forte...

Bom, pra atualizar isso aqui, decidi postar um trecho de uma das coisas que escrevo, assim, só pra colocar as ideias 'no papel'. Vivo tendo ideias pra histórias e side-stories dos personagens de Vidas Imperfeitas. É como se o universo deles fosse tão vivo dentro de mim!

Esse trecho é uma narração em primeira pessoa do Diego. Ele deve ser o personagem mais difícil de 'incorporar' porque tudo funciona diferente na cabeça dele. Ele tem segredos que mais ninguém sabe, nem mesmo a Juno.



"Eu sempre soube quem ela era. Não precisei de muito para descobrir que ela vivia em seu próprio mundo, como uma garotinha. Ela iria crescer e ainda assim, essa parte dela permaneceria. O que eu poderia esperar de alguém que via sua vida acontecer dentro de sua cabeça, ignorando todo o resto...?
Mas eu gostava de observá-la, havia algo sobrenatural sobre ela. Ela não precisava dizer nada. A maior parte do tempo, eu não estava ouvindo. Coisas sobre o dia chuvoso, sobre o jogo que ela venceu na escola, ou como ela fez o nariz de alguém sangrar... coisas assim. Como eu disse, eu não estava prestando atenção. Muitas coisas ocupavam a minha cabeça.
 ______

-Ei cara, você toca rápido demais – Jay era o guitarrista da banda.
-Foi mal, é a força do hábito.
-Então, você tocava no “Shades” né? – Eu conheci o Pedro na época que ele ainda tinha cabelo, e usava mullets. Agora ele tinha uma tentativa de moicano.
-Cara, o que você fez com seu cabelo, afinal?
-Eu sei, né? Ta muito curto ainda pra um moicano...
O Pedro não parecia gostar muito de mim no começo. Era algo sobre o baixista do Shades - minha antiga banda - ter ‘pego ele na saída’ da escola. Eu não soube muito sobre a briga, mas no final, sempre acreditei que ele não gostava de mim porque também fazia parte da banda. Não sei por que, eu tinha boa impressão sobre ele. Ele era um cara centrado como eu, ao contrário do Jay... ele estava sempre nas festas.
-Olha cara, vou passar na sua casa as dez, beleza? - Jay estava falando comigo.
-Pra?
-A gente TEM que ir naquela festa. Escuta, Diego... você também anda muito noiado. Vou arranjar umas garotas pra você.
-Não, obrigado.
-Você tem namorada ou algo assim?
-Não.
-Isso é deprimente, cara.
O que era mais deprimente? Pegar todas as garotas bêbadas que ficavam no seu pé, se preocupar com o que elas estão dizendo – o tempo todo – esperando que alguma delas dê o sinal verde; ou ser eu? Sempre escolhi a segunda opção...
______

-Eu não acredito que você pegou a Serrano.
-Quem? – Eu perguntei sem entender. Jay tinha um brilho estranho no olhar.
-A Serrano? Gostosa? Loira? Rica? Vamooooos...
-Você está falando sobre uma garota completamente bêbada que desmaiou em cima de mim depois de alguns minutos?
-Cara, a mina tava muuuuuuuuuuito louca. Você já tinha ido embora e ela apareceu dizendo que tinha ficado com você. Aí ela vomitou, foi parar no hospital...
Eu fiquei parado me perguntando onde aquela conversa ia dar. Então Jay apoiou o braço por trás dos meus ombros.
-Muito bom, cara... parabéns, to orgulhoso.
-Cala a boca, eu mal beijei aquela menina.
-Claro, claro...
Era mais fácil acreditar numa garota completamente insana do que em mim? Não, eu não precisava daquilo na minha vida.
Garotas nunca tinham entrado na minha vida, pra dizer a verdade. Elas poderiam ter feito parte de algum momento, como numa maneira de satisfazer algum desejo. Mas nunca ficaram, nunca. Algumas pessoas poderiam achar que isso era triste, mas para mim era simplesmente natural.
Mas, quando eu achava que nada poderia me atingir numa manhã de sábado enquanto ensaiava com a banda, lá estava ela. Servindo alguns lanches. Falava como uma matraca. Sorria, colocava o cabelo para trás. Eu queria que ela me ignorasse, mas no final, ela sempre aproveitava quando Jay não estava olhando para se aproximar.
-Você mandou a Serrano pro hospital, sabia?
-Eu fiquei sabendo.
E lá estava ela, comentando sobre coisas irrelevantes só para manter contato. Não era pra ela estar se sentindo mal, depois de ter me visto com outra garota num lugar escuro e escondido? – ou quase isso. Mas não, ela sorria... como se nada mais importasse a não ser aquele momento, nem mesmo se eu prestava atenção ou não."


Eu acho que ainda preciso melhorar algumas coisas... só sei que o Diego é tão difícil mas tão interessante. Se gostarem destas pequenas histórias, postarei mais delas por aqui =] E alguém consegue adivinhar quem é a garota dos pensamentos do Diego?! xD

Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Pode postar mais... cada história será bem-vinda!

    ResponderExcluir
  2. gostei bastante pode continuar e quando acabar o vidas faz uma historia da banda mad house um pouco parecido com beck mongolian squad para os fans

    ResponderExcluir
  3. sim..gostei muito pode continuar postando ;)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...